Assembleia Geral FECN

Entre 14 e 16 de junho, a Rota Histórica das Linhas de Torres – Associação para o Desenvolvimento das Linhas de Torres Vedras participou, pela primeira vez, na assembleia geral Fédération Européenne des Cités Napoléoniennes, que decorreu em Ajácio, na Córsega.

Como recém-associada, a apresentação da RHLT, sua visão, missão e projetos ficou a cargo da vice-presidente, Ana Umbelino. Unanimemente foi considerada um “case study” e um projeto inspirador para Charles Bonaparte, presidente da FECN, e para Jacques Matteu, seu diretor. Ambos manifestaram interesse em conhecer a RHLT, in situ, brevemente.

A sessão contou com a presença de elementos provenientes de diversos países, nomeadamente Áustria, França, Croácia, Bélgica, Itália, Alemanha e Irlanda. Nela foram discutidas estratégias de promoção turística integrada; apresentados os projetos de cooperação internacional entre a FECN e a China e exploradas formas futuras de promoção junto desse mercado; dadas a conhecer ferramentas de interpretação do território que resultam de processos de Investigação e desenvolvimento que envolvem a federação e os eventos e iniciativas mais relevantes que se encontram em implementação.

A intenção primordial desta agremiação é promover o conhecimento da influência e do impacto de Napoleão nas comunidades e não incentivar o culto da personalidade ou do passado, mas sim de que forma o passado nos pode ajudar a interpretar o presente e a construir o futuro.

A Federação conta com 85 cidades e regiões da Europa que dão forma à plataforma, entre as quais duas são portuguesas.

A FECN gere, ainda, a marca Destination Napoléon – um itinerário cultural do Conselho da Europa. Esta certificação pôs em contacto parceiros de todo o mundo numa rede que permite à Federação ambicionar consolidar notoriedade e eficiência na sua abordagem. Neste sentido, a Rota Histórica das Linhas de Torres procura a valorização patrimonial e promoção turística das Linhas de Torres Vedras, contando com uma equipa técnica multidisciplinar que atua em áreas como arqueologia, comunicação, conservação e salvaguarda, museologia, assim como em parcerias nacionais e internacionais, programas e projetos culturais e de turismo.