Criação de um Itinerário cultural de Napoleão

A Rota Histórica das Linhas de Torres, na qualidade de membro do consórcio transfronteiriço NAPOCTEP, participou nos dias 3 e 4 de fevereiro, nos Comités de Direção e Seguimento do projeto NAPOCTEP, que decorreu em Ciudad Rodrigo.

O primeiro dia foi dedicado a conhecer possíveis parceiros que possam incorporar o itinerário cultural em torno da temática das invasões napoleónicas, quer através do património, quer através de produtos e serviços turísticos, contribuindo para o desenvolvimento de um produto turístico diferenciado, de qualidade e sustentável, que seja atrativo e possa dinamizar a atividade económica e o emprego da região.

Neste sentido, foram visitados o sítio arqueológico Siega Verde – uma extensão do vale do Côa, em Portugal – património da humanidade; o Real Fuerte de la Concepción, Fuentes de Oñoro e Ciudad Rodrigo.

No segundo dia realizaram-se várias reuniões de trabalho. Uma delas entre o consórcio NAPOCTEP e o diretor da Federação Europeia de Cidades Napoleónicas, Jacques Mattei, com vista à possibilidade do itinerário poder vir a integrar a marca Destination Napoleon; as restantes com o foco na análise do avanço do projeto – objetivos alcançados e objetivos futuros -, bem como nos avanços técnicos.

Houve ainda lugar a uma reunião do Ayuntamento de Ciudad Rodrigo com a participação de algumas entidades públicas e privadas.

Pela parte da Rota Histórica das Linhas de Torres participaram no encontro o presidente da direção da RHLT, José Alberto Quintino, membro do Comité de Direção, a técnica Sandra Oliveira, membro do Comité de Seguimento e a técnica Marta Fortuna, membro do grupo de trabalho Candidaturas e Internacionalização.

A duração do projeto situa-se em dois anos (2019-2021), com um investimento total de 711 mil euros, cofinanciado pela Comissão Europeia no âmbito do programa INTERREG PROCTEP e pretende transformar a herança da época das Invasões Francesas e da Guerra Peninsular num produto turístico sustentável e de qualidade que possa gerar riqueza e emprego nas regiões de Castela e Leão e no Centro de Portugal, ameaçadas pelo despovoamento e pelo envelhecimento. O projeto traz consigo vários desafios como a cooperação transfronteiriça; o desenvolvimento económico; o turismo sustentável e o desenvolvimento ambiental; e a transmissão e sua replicabilidade.

Mais informações sobre o projeto em www.napoctep.eu