Napoleão Bonaparte dá nome a jogo

Realizou-se a 19 de novembro, no Palace Hotel do Bussaco, a apresentação pública do jogo “Napoleão Bonaparte – O princípio do fim”.

O programa iniciou-se com uma visita guiada ao Palace Hotel do Bussaco e ao Convento de Santa Cruz do Bussaco para assistir ao jogo experimental, “Napoleão Bonaparte: o princípio do fim”, que decorria entre jovens.

Pelas 11h00, a sessão de abertura esteve a cargo de António Jorge Franco, presidente da Câmara Municipal da Mealhada; Emílio Torrão, presidente da Comunidade intermunicipal da Região de Coimbra; Maria Miguel, pela Direção Regional de Cultura do Centro; e Pedro Machado, presidente da Entidade de Turismo do Centro de Portugal.

Seguiu-se Luís Pina Martins, fundador e CEO da Science4You que, a partir da política da empresa – um ensino focado na experimentação -, explicou de que forma os conceitos de “Aprender enquanto brincam” e de “soft skills” estiveram presentes na criação do jogo “Napoleão Bonaparte: o princípio do fim”.

Ana Bento, membro do grupo de trabalho que desenvolveu o jogo com a Science4you, integrado por Marta Miranda (Mafra), Mónica Pereira (Mortágua), Paula Gomes (Almeida) e Sandra Oliveira (Sobral de Monte Agraço), explicou que o objetivo do jogo é divulgar e estimular a visitação do património associado às Invasões Francesas, num território de 13 municípios. No entanto, este jogo, cujo conceito foi pensado não enquanto ponto de vista dos imperialismos e conquistas, mas da resistência de um povo e da defesa de um território, pretende transmitir mensagens partindo do tema da guerra para construir a paz. Por esta razão, o jogo desenvolve um conjunto de competências alargado, que inclui a história, o património e a cultura, mas também a cidadania, os objetivos de desenvolvimento sustentável, as artes e a matemática, sendo um jogo com selo STEAM. Desenvolvido para ser jogado por famílias, mas também pelo público escolar, enquanto ferramenta educativa e pedagógica que pode ser usada pelos docentes. Marta Miranda explicou, por exemplo, o conceito por detrás das Cartas Mistério, que usam a telegrafia ótica na decifração de mensagens com recurso ao código utilizado para comunicar durante a Terceira Invasão Francesa, nas Linhas de Torres Vedras.

António Bob Santos, coordenador executivo do Programa Impulso Jovens STEAM, deu a conhecer o respetivo programa, ao abrigo do Plano de Recuperação e Resiliência, sublinhado o contributo do jogo “Napoleão Bonaparte: o princípio do fim” no desenvolvimento de novas competências em crianças e jovens – competências STEAM, bem como o facto desta iniciativa ser resultado da cooperação entre entidades públicas e privadas, incentivando as crianças, desde cedo para as áreas das tecnologias, matemáticas, cidadania, etc. Considera que o jogo está alinhado com os objetivos nacionais que presidiram à criação, pelo governo, do programa Jovens STEAM e Impulso Adultos, com a meta de que cada vez mais pessoas se qualifiquem de forma a dar resposta a um dos principais deficits de Portugal – as competências tecnológicas.

Jorge Brito, secretário executivo da CIM Coimbra, apresentou o projeto Rede Temática das Invasões Francesas em Portugal, onde se insere o jogo. Trata-se de um projeto aprovado ao abrigo da Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior, do Turismo de Portugal, que se estrutura em torno das seguintes dimensões estratégicas: qualificação da oferta; capacitação de recursos, comunicação de produto; e inovação em rede. O projeto é constituído por um consórcio que inclui os municípios de Almeida, Bombarral, Elvas, Lourinhã, Mealhada, Mortágua, Penacova e a Rota Histórica das Linhas de Torres (municípios de Arruda dos Vinhos, Loures, Mafra, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira) e a entidade promotora CIM Coimbra.

Coube a Teresa Ferreira, em representação do Turismo de Portugal, o encerramento da sessão. De acordo com as suas palavras, com base num projeto de raiz turística, conseguiu-se, nesta sessão, falar não só da importância da diversificação da oferta turística, mas também de informação, soft skills, património e ciência, o que significa que, a propósito do desenvolvimento turístico, é possível trabalhar um conjunto de componentes muito relevantes para o desenvolvimento das comunidades e do território. Considera, ainda, que o projeto Rede Temática das Invasões Francesas em Portugal, tornou-se relevante e diferente de outros projetos pela diversidade de entidades envolvidas (uma CIM e os seus municípios, mas também municípios de outros territórios e uma associação – a Rota Histórica das Linhas de Torres) que imprime uma complexidade de trabalho em rede; pela afirmação clara da componente tecnológica num projeto focado no património e na educação patrimonial; e pelo jogo “Napoleão Bonaparte: o princípio do fim”, desenvolvido por uma equipa de trabalho do projeto em colaboração com a empresa Science4You, e que vai permitir a aproximação das famílias e das comunidades ao património. O projeto tem, também, outras valências no âmbito do desenvolvimento da oferta turística, após a sua conclusão, e que são: a necessidade absoluta de trabalhar em rede e em interdisciplinaridade para ganharmos a escala suficiente para a transformação da nossa oferta turística e a dimensão tecnológica, educativa e de empreendedorismo transversal e alinhada com os objetivos do desenvolvimento sustentável.

Assista ao evento completo aqui.

O dia terminou com uma visita guiada à Mata Nacional do Bussaco.

A partir deste momento a Rota Histórica das Linhas de Torres, que participou ativamente na criação deste jogo, conta com mais uma ferramenta de divulgação do território, do seu património e de educação patrimonial para famílias e para escolas.